sexta-feira, fevereiro 25, 2005

The Mothman Prophecies (A Última Profecia) / Cinema

Também pode ser traduzido como: "As Profecias do Homem - Mariposa"

Ficha Técnica

Título Original: The Mothman Prophecies
Género: Suspense
Tempo de Duração: 119 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2002
Site Oficial: www.spe.sony.com/movies/mothman - não funciona
Site Oficial: http://www.themothmanlives.com/ - não funciona
Estúdio: Lakeshore Entertainment
Distribuição: Screen Gems Inc.
Direcção: Mark Pellington (O Suspeito da Rua Arlington, Indo até o Fim)
Roteiro: Richard Hatem, baseado em livro de John A. Keel
Produção: Gary W. Goldstein, Gary Lucchesi e Tom Rosenberg
Música: Jeff Rona, Tom Hajdu & Andy Milburn
Fotografia: Fred Murphy
Desenho de Produção: Richard Hoover
Direcção de Arte: Troy Sizemore
Figurino: Susan Lyall
Edição: Brian Berdan

Elenco

Richard Gere (John Klein) O Poder do Amor; Gigolô Americano; Lancelot: O Primeiro Cavaleiro; O Chacal; Justiça Vermelha
Laura Linney (Connie Parker) O Óleo de Lorenzo; Presidente Por Um Dia; O Show de Truman; As Duas Faces de um Crime; Poder Absoluto
Will Patton (Gordon Smallwood) Depois de Horas; Armageddon; Duelo de Titãs; 60 Segundos
Debra Messing (Mary Klein) séries Ned And Stacey; Will & Grace
Shane Callahan (Nat Griffin) Vampires Anonymous; Above Suspicion
Alan Bates (escritor Alexander Leek) Nijinski; Assassinato em Gosford Park
Nesbitt Blaisdell (Josh Jarrett: Chefe da polícia)
Clay Bunting (Kevin)
Dan Callahan (C.J.)
David Eigenberg (Ed Fleischman: melhor amigo, repórter)
Christin Frame (Holly)
Pete Handelman (Aide)
Lucinda Jenney (Denise Smallwood) G.I. Jane; Da Magia À Sedução
Ann McDonough (Lucy Griffin)
Cameron Crowe – (bartender)
Outros: Bob Tracey, Ron Emanuel, Tom Stoviak, Yvonne Erickson

“The Mothman Prophecies” (2002), é inspirado em fatos verídicos, conta a história de estranhos acontecimentos que assolaram a pequena e pacata cidade de Point Pleasant (Ponto Agradável), em Virgínia Oeste. Os habitantes da cidade parecem estar sofrendo de alucinações colectivas, que transformaram totalmente as suas rotinas diárias e de todos aqueles que passavam pela cidade.Baseado no livro homónimo de 1975, do jornalista John A. Keel, um estudioso de casos misteriosos e sem explicação, no qual ele relata estranhos fenómenos nas proximidades da cidade de mesmo nome, acontecidos nos anos de 1966 e 1967, que duraram treze meses e foram interpretados como premonições de uma tragédia que aconteceu na ponte “Silver”, travessia do Rio Ohio, em 15 de Dezembro de 1967, matando 46 pessoas (e não 36, como no filme). O mito do Homem – Traça (Homem – Mariposa) também deu origem a outros best sellers, como Mothman: The Facts Behind The Legend, de Donnie Sergent Jr. (no qual ele conta a história do casal de namorados, um dos quais sangrou pelos olhos e que alega ter visto o Homem - Traça nas proximidades de uma fábrica abandonada em Point Pleasant), The Silver Bridge, de Gray Baker (sobre o acidente na ponte) e Mothman And Other Curious Encounters, de Loren Coleman (um breve apanhado de todos os acontecimentos que inspiraram o filme).”A Última Profecia” acabou sendo a conclusão oficial dada por Jon Keel acerca do próprio mito do Homem - Traça e dos estranhos eventos em Point Pleasant, a de que, a cidade era uma espécie de janela aberta para o insolúvel e o bizarro, pois, durante muitos séculos, muito se ouviu e se viu naquelas redondezas.”A Última Profecia” começa contando a trajectória de John Klein (Richard Gere), um jornalista bem sucedido do Washington Post. Ele é uma referência à Mary Hyre, a repórter do jornal Athens, de Ohio, que na realidade, investigava os acontecimentos em Poin Pleasant em 1967. John Klein é casado com Mary (Debra Messing) e eles vivem em Washington D.C., onde planeiam a compra de sua residência.Mas um acidente de carro, provocado por uma visão de Homem – Traça, faz com que Mary descubra que tem no lóbulo temporal do cérebro, um tumor muito raro. Apesar dos esforços para salvá-la, ela morre. Ajudado por um enfermeiro, Klein encontra nos papeis da esposa, desenhos de criaturas com asas, similares a um “anjo da morte”, que ela fez durante seu internamento e supõe que aquela teria sido a visão da Mary, antes do acidente.Dois anos se passam, e numa noite, na eminência de se encontrar com governador Rob McCallum (Murphy Dunne), John viaja de carro para a cidade de Richmond. Mas alguma coisa muito estranha acontece. Em apenas uma hora e meia, num trajecto que deveria levar cerca de seis horas, ele atravessa um estado inteiro, parando misteriosamente em Virgínia do Oeste, na perdida cidade de Point Pleasant, fronteira com o estado de Ohio, a 650 quilómetros de onde pensava estar.
Outra surpreendente situação, faz com que John fique extremamente intrigado com a cidade. Um morador, Gordon Smallwood (Will Patton), a quem ele pede ajuda logo após o seu carro parar no meio da estrada, o ameaça com a espingarda, alegando ser a terceira vez que, em plena madrugada, exactamente, a mesma hora, John incomoda a ele e à sua mulher Denise (Lucinda Jenney). A xerife local, Connie Parker (Laura Linney), tem um pesadelo em que alguém lhe diz: "Acorde, número 37", mas não entende o seu significado.
Mas o quê mais perturba John, é o facto de que muitos dos moradores, têm relatado aparições de estranhas criaturas, anjos com asas negras, e quando Connie lhe mostra a figura de um deles, ele tem a certeza de que se trata da mesma que Mary viu antes do acidente, o que o faz permanecer na cidade e tentar descobrir que acontecimentos estranhos têm perturbado os ânimos da Point Pleasant. Além disto, tenta entender como percorreu uma distância tão grande em menos de duas horas. No outro dia, ao tentar resolver o problema do seu carro, descobre que o veículo não tem nenhum defeito.Como é denotado no livro de John Keel, o som emitido por criaturas misteriosas, soa como o de um grito de mulher, embora no filme, o Homem - Traça, que se auto denomina de Indrid Cold (Bill Laing), usa voz sinistra nas conversas com os personagens de John Klein e Gordon Smallwood, dando informações sobre eventos futuros.Mais tarde, John encontra-se com um estudioso e escritor de livros sobre premonições, dos casos misteriosos e aparições, Alexander Leek (Alan Bates), que lhe fornece importantes informações sobre o mistério da criatura sobrenatural, o Homem – Traça, que aparece antes da ocorrência de grandes tragédias. Por exemplo, Leek conta que o Homem – Traça apareceu varias vezes na Ucrânia, antes de acidente nuclear de Chornobyl. Escritor, também, aconselha o Klein de se afastar da cidade e evitar o contacto com Indrid Cold e suas premonições, não negando o seu fascinação pelo inexplicável e extraordinário que cerca o nosso Mundo banal. A única coisa que não foi tratada no filme, é o fato de que estranhas visitas também aconteceram à repórter Mary Hyre, que investigou o caso em Point Pleasant. Foram visitas de enigmáticos homens vestidos de preto, que surgiam e desapareciam de repente, e que se mostravam muito interessados nas investigações acerca das aparições e dos eventos na cidade.Há também o fato de que os aparelhos de televisão e de telefone, começaram a falhar em Point Pleasant, em meados de Dezembro de 1966, emitindo estranhos sinais, que poderia ser a tentativa de Homem – Traça de se comunicar com os humanos.E por fim, quem é o Homem – Traça? No filme, Alexander Leek (Alan Bates) explica, que Homem – Traça é a forma mais evoluída da vida.

Explicação Científica:
A criatura com grandes asas e olhos vermelhos é uma Tyto alba, nome científico para uma grande coruja que se esconde em celeiros e sai à noite para caçar.

No entanto, o critico de cinema, Carlo Cavagna, afirma no seu artigo no site AboutFilm.com, que houve pelo menos doze aparições de Homem – Traça na Ucrânia em 1986, antes do acidente, acontecido no dia 26 de Abril. E que também, ouve varias aparições do Homem – Traça antes e durante o colapso de Xiaon Te Dam na China em 1926, no terramoto de Chicago em 1951 (o único terramoto na história da cidade), no desastre numa mina na Alemanha em 1978 e no desaparecimento do um avião no triângulo de Bermúdas em 1983.
Nos muitos casos, acredita-se que Homem – Traça salvava as vidas das pessoas, atraindo os ou assustando os para afastar da zona de desastre. Em alguns casos, isso provocava a morte das pessoas, incluindo numa aparição durante a guerra de Crimeia no século XIX, que causou a batalha mais sangrenta daquela guerra.
Antes da tragédia na ponte “Silver”, foram registados mais de cem aparições de Homem – Traça, assim como outras anomalias: aparição dos OVNIS ou de extraterrestres verdes. Muitos dos casos foram relatados na imprensa local e foram suficientes, para convencer muita gente, que algo irá de acontecer.
No seu artigo, Carlo Cavagna, cita o site oficial do filme, mas o portal sony, onde este deveria ser alojado, diz que desconhece o paradeiro do site. Por isso, não é possível confirmar essa informação in loco.

Nota de autor:
Vi o filme nos meados de 2004, e desde então fiquei fascinado pela história. Principalmente porque sou ucraniano e senti os efeitos de Chornobyl na pele. Pessoalmente tenho a teoria seguinte: imagino o Homem – Traça (Mariposa) como um ser do outro mundo, nem que seja um mundo paralelo ao nosso. Por alguma razão (no filme, Alexander Leek diz: as suas razoes não são humanas), ele decide avisar os humanos sobre uma determinada tragédia. Então, emite um sinal (como se fosse um onda de rádio). Geralmente, 99,9% da humanidade, não consegue captar o tal sinal, ou o capta nas condições medíocres, por exemplo nos sonhos (imagina que você assiste a televisão sem antena).
Mas há pessoas que captam o sinal bem, ou então, podem existir as tragédias que interessam particularmente o Homem – Traça, e ele intervenha maciçamente. Então, muita gente consegue captar algo. Mas mesmo, se eles se arriscariam de se expor perante autoridades (podem ser tratados como esquizofrénicos, pois oiçam as vozes), ninguém acreditaria neles. E as tragédias acontecem.
Também tenho uma amiga na Ucrânia, que me contou recentemente, de estar sonhar com as grandes inundações. Depois do maremoto na Ásia, estes sonhos desapareceram. Será que Homem – Traça tentava nos avisar outra vez e nos outra vez não entendemos a sua mensagem? O que vocês acham?

P.S. Escrevo este artigo e fico todo arrepiado!

Os livros originais:

John A. Keel: "The Mothman Prophecies"; New English Library; 2002 (orig. pub 1975); ISBN 0340824468
Donnie Sergent JR: "Mothman: The facts behind the legend"; Jeff Wamsley: "Mothman Lives", Publishing; 2001; ISBN 0966724674

3 Comentários:

Blogger Memento said...

mt boa a matéria!
sou artista e trabalho em cima de mitos contemporâneos, e indrid cold mt me intrigou. sevc tiver mais dados ou queira conversar me mande um e-mail: pirikas@oi.com.br

6:06 da tarde

 
Blogger LUFE said...

O assunto é interessantíssimo. Adoro decifrar enigmas como este. A pesquisa de coisas sem explicação, que acredito eu td tem uma explicação ou pelo menos leva a um objetivo maior.

Acho muito intrigante estes fatos, bem como assombrações e coisas do gênero.

Certamente, há muito mais entre o céu e a terra do que prevê nossa vã filosofia.

eu que nasci no mesmo ano que a tal silver bridge do rio Ohio ruiu. Acho estas coisas muito incríveis.

Faça contato

12:17 da manhã

 
Blogger Moisés said...

Assisti o filme por acaso, veio em uma sacolada de filmes emprestados por um'amiga de minhesposa.

Achei fascinante a história, também. Uma das lendas modernas mais intrigantes de que já ouvi falar e é popular, já vi menções em livros de RPG e histórias em quadrinhos.

E seu texto ficou muito bom, bastante completo - apesar dos spoilers.

2:23 da tarde

 

Enviar um comentário

<< Home